Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Química’ Category


Acredito que seja de grande valia a participação de professores na resposta desse questionário importantíssimo para um TCC. O assunto é bem profundo e trata-se de um ponto da disciplina da química muito delicado para os cegos.

Ver o post original

Read Full Post »


Confira a live que eu participei. Muito legal!

Ver o post original

Read Full Post »


Confira no Química Acessível mais uma postagem sobre Capacitismo.

Featured Image -- 47168

Ao longo de nossas vidas ouvimos muitas expressões como: Você é demente? Você parece um autista! Você anda igual a um capenga! Você é mongol? Olha o ceguinho! Você parece surdo! Essas e outras expressões discriminatórias são decorrentes do capacitismo, elemento estrutural em nossa sociedade que assim como o racismo, o machismo e a homofobia, configura fator impeditivo de pleno acesso à cidadania.

Capacitismo é toda forma de discriminação contra um grupo social específico: o das pessoas com deficiência, este pode apresentar-se das formas mais doces às mais agressivas. Segundo Fiona Kumari Campbell (2021), o capacitismo está relacionado com as relações de poder em nossa sociedade e preconiza um afastamento da aptidão e capacidade dos seres humanos, em razão da sua condição de deficiência.

O termo é pautado na construção social de um corpo padrão “perfeito”, denominado como “normal”, e da subestimação da capacidade e aptidão de pessoas em virtude…

Ver o post original 684 mais palavras

Read Full Post »


Nova postagem do blog “Química Acessível” com novo design, revisado e nova equipe. Leia o artigo de divulgação científica revisado e coordenado pela professora Cristiana Passinato e produzido pela nova equipe do projeto. Os autores de tema da semana são o Flávio Rosa, Morgana Guimarães, Luana Araújo e Cristiana Passinato. Tudo acessível com sugestões inclusivas para sala de aula. Confiram!

Flávio Rosa, Morgana Guimarães, Luana Araújo e Cristiana Passinato *Equipe Química Acessível”

Temos do senso comum diferentes narrativas do que viria a ser um “fenômeno”. Por exemplo, utiliza-se o termo “fenômeno” para se referir a um fato ou um evento sem explicação ou de causas sobrenaturais e até mesmo para se referir a artistas que alcançaram sucesso repentino. O fato é que nossos alunos chegam à escola com algumas ideias já formadas sobre este assunto.

O papel do professor é promover uma ruptura de suas concepções derivadas do senso comum para a construção do saber científico. A mediação realizada pelo educador é fundamental nesse processo, instrumentalizando o aluno para que este possa ter uma representação e compreensão dos fenômenos baseado no senso crítico. Compreender o que definimos como fenômeno (químico ou físico) pode ajudar nossos alunos a compreender a ciência e a sua ação sobre a natureza.

A análise mediada…

Ver o post original 623 mais palavras

Read Full Post »


Contatos caso se interessem: crispassinato@iq.ufrj.br

Read Full Post »

Older Posts »

%d blogueiros gostam disto: